Loading...

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

Noticia

Estigma das doenças difícil de ultrapassar
Congresso de Saúde Mental
O preconceito é, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), o maior obstáculo ao tratamento e reabilitação das pessoas com doença mental.
Segundo a Organização Mundial de Saúde “a estigmatização e a discriminação ainda estão entre os maiores obstáculos à intervenção nas doenças mentais. Em todo o mundo as pessoas não procuram, obtêm ou mantêm tratamento devido ao medo, recursos deficientes ou falta de informação”. Na abertura do V Congresso Nacional da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental (SPPSM) o estigma associado às doenças mentais foi o tema em destaque.
O estudo “Estigma nos familiares de pessoas com doença mental grave”, do Grupo de Investigação em Reabilitação Psiquiátrica do Serviço de Psiquiatria do Hospital de São João, divulgado hoje no Congresso revela que, no seio familiar, o doente com esquizofrenia não é responsabilizado pela doença. Na sua maioria, os familiares valorizam a toma da medicação e a assiduidade do tratamento, mostrando preocupação e disponibilidade em apoiar o familiar doente.
Já no que diz respeito às relações sociais, os 40 familiares participantes no estudo, mostram-se apreensivos, receando alguns riscos. O sentimento de pena face ao ente com diagnóstico de esquizofrenia está muito presente.
Filipa Palha, presidente da Associação Encontrar+Se, salienta que “não se pode continuar a separar as doenças da mente das do corpo. Da mesma forma que não se controla uma febre, o mesmo se aplica a um transtorno mental. Se não for tratado, devido a medos ou preconceitos, poderá ter consequências fatais”.
Para a coordenadora do estudo e terapeuta ocupacional, Sara Sousa, “o estigma contribui para a não adesão ao tratamento e diminui o potencial de recuperação do doente, podendo levar à recaída, com um forte impacto negativo na relação dos doentes consigo próprios, com a sua família e comunidade”.

Sentido das Letras / Copyright 2008 - 11/26/2009 4:37 PM

terça-feira, 24 de novembro de 2009

Esquizofrenia-discover

video

Esquizofrenia



A esquizofrenia é um transtorno psíquico severo que se caracteriza principalmente por alterações do pensamento, alucinações (sobretudo auditivas), delírios e perda de contacto com a realidade.


Principais causas:

Actualmente não se considera que apenas uma causa seja responsável pela doença mas sim um conjunto delas, tais como:
›Causa genética
›Causa neurobiológica
›Causa psicanalítica
›Causa familiar
-Causa dos neurotransmissores


Vivência familiar:

-Medo… “Ele poderá fazer mal a si ou às outras pessoas?”
-Negação da gravidade… “Isso daqui a pouco passa”
-Incapacidade de falar ou pensar em outra coisa que não seja a doença… “Toda a nossa vida gira em torno do nosso filho doente”
-Isolamento social… “As pessoas até nos procuram, mas não temos como fazer os programas que nos propõem”
-Constante busca de explicações… “Ele está assim por algo que fizemos?”
-Depressão… “Não consigo falar da doença do meu filho sem chorar”.


Consequências:

Caso não haja um tratamento adequado, o doente pode tornar-se violento para si próprio colocando a sua vida em risco nos momentos de surto.


Tratamento:

-Acompanhamento médico-medicamentoso;
-A psicoterapia;
-A terapia ocupacional (individual ou em grupos);
-A intervenção familiar;
-A musicoterapia;
-A psicoeducação.


Apesar de não se conhecer a sua cura, o tratamento pode ajudar muito a tratar os sintomas, e a permitir que os doentes possam viver as suas vidas de forma satisfatória e produtiva. A experiência clínica indica que o melhor período para o tratamento da esquizofrenia é com o aparecimento dos primeiros sintomas


Tipos de esquizofrenia

-Paranóide
-Desorganizado
-Catatónico
-Indiferenciado
-Residual



Stress pós-traumatico video

video

Stress pós-traumático



O stress pós-traumático é uma forma de ansiedade, que se segue à experiência de um acontecimento particularmente traumático sobre o plano psicológico.


Principais causas:

Acontecimentos traumáticos e marcantes para o individuo em causa como:
-Situações de Guerra;
-Abuso sexual;
-Tortura;
…e todo o tipo de acidentes.


Alguns comportamentos:

-Ansiedade;
-Dificuldade em dormir;
-Dores no peito ou abdominais sem razão aparente;
-Disfunções sociais.


Consequências:

-Divorcio;
-Mau relacionamento com os outros.

Depressão



A depressão é uma doença mental que se caracteriza por tristeza mais marcada ou prolongada, perda de interesse por actividades habitualmente sentidas como agradáveis e perda de energia ou cansaço fácil.


Principais causas:

-Condições de vida adversas;
-O divórcio;
-A perda de um ente querido;
-O desemprego;
-A incapacidade em lidar com determinadas situações ou em ultrapassar obstáculos;


Alguns comportamentos:

-Modificação do apetite;
-Perturbações do sono;
-Sentimentos de inutilidade, de falta de confiança e de auto-estima;
-Falta ou alterações da concentração;
-Preocupação com o sentido da vida e com a morte;
-Desinteresse, apatia e tristeza;
-Alterações do desejo sexual;
-Manifestação de sintomas físicos, como dor muscular, dor abdominal, enjoo.


Consequências:

A depressão pode ter consequências graves não só para a pessoa afectada, como também para a sua família, podendo levar a uma espiral descendente de incapacidade, dependência (álcool, tabaco e outras drogas), podendo ser devastadora para as relações familiares, de amizade e elaborais.

Bulimia


A Bulimia é uma doença que consiste em episódios de ingestão compulsiva de alimentos muito calóricos seguidos de atitudes inadequadas que compensam essas calorias ingeridas.


Principais causas:
-Angustia e stress;
-Falta de auto-estima;
-Tentativa de neutralizar o sofrimento, causado pela solidão;
-Valorização do corpo magro como ideal de beleza.


Alguns comportamentos:
-A ingestão compulsiva de alimentos muito calóricos;
-A prática de grandes jejuns;
-O uso de diuréticos e laxantes;
-A indução do vómito;
-A prática exagerada de exercício físico.


Consequências:
-Depressão;
-Fadiga;
-Irregularidade menstrual, no caso das mulheres;
-Arritmia Cardíaca;
-Problemas de esófago e de estômago;
-Fragilidade dos dentes e dos ossos (devido à indução do vómito).

Noticia

Porto reúne especialistas em doenças mentais

Tem início amanhã, e decorre até ao próximo dia 28, o V Congresso Nacional da Sociedade Portuguesa de Psiquiatria e Saúde Mental (SPPSM) que reunirá no Porto sociedades científicas, médicos, psiquiatras, cientistas nacionais e estrangeiros.
Subordinado ao tema “A Psiquiatria – da sua identidade aos seus limites”, o V Congresso da SPPSM decorrerá no Sheraton Porto Hotel), e contará com workshops, simpósios e debates sobre temas como o estigma na doença mental, a prevenção da depressão, sexologia clínica, neurociências e toxicodependências, entre outras perspectivas e análises de casos clínicos.
O V Congresso Nacional da SPPSM contará ainda com a presença dos presidentes da Associação Mundial de Psiquiatria (onde a SPPSM está filiada), Mário Maj; da Sociedade Espanhola de Psiquiatria, Jerónimo Saiz; e da Associação Brasileira de Psiquiatria, João Alberto Carvalho. O objectivo é discutir a temática da psiquiatria e saúde mental, de forma a proporcionar a melhor qualidade de vida e o melhor tratamento aos doentes psiquiátricos.
Ao todo, serão quatro workshops durante a manhã do primeiro dia, seguidos, à tarde, por duas mesas redondas. Nos dias seguintes irão realizar-se 15 mesas/simpósios, quatro Conferências e três Simpósios patrocinados.
O programa geral pode ser consultado no site do Congresso: www.nacpsi2009.com.
Sentido das Letras / Copyright 2008 - 11/24/2009 4:37 PM

segunda-feira, 23 de novembro de 2009

Vídeo anorexia

video

Anorexia





A anorexia é uma doença psicológica que consiste num comportamento impróprio ao nível da alimentação o que conduz à perda excessiva de peso.

Principais causas:

-O grande desejo de atingir a forma física enquadrada nas “exigências actuais”;
-A pressão da própria pessoa, por falta de auto-estima;
-As críticas ao seu aspecto físico, por parte dos que a rodeiam;
-A influência por parte dos estilistas de moda e dos fabricantes, que fazem tamanhos muito pequenos;
-A pressão da publicidade alimentar para “aqueles” produtos que conduzem à silhueta desejada;

Alguns comportamentos:


-Obsessão pela magreza;
-Prática exagerada de exercício físico;
-Prática de dietas rigorosas;
-Controlo obsessivo do peso;
-Recusa da ingestão de alimentos;
-Uso de laxantes e diuréticos;
-Perda da noção da própria imagem.


Consequências:


-Perda excessiva de peso;
-Afastamento dos amigos e da família;
-Mudanças repentinas de humor;
-Alteração do processo de desenvolvimento e crescimento do corpo;
-Fragilidade do cabelo, das unhas e da pele
-Perturbações do sono;
-Perda natural do apetite, pois o organismo habitua-se a não ter fome.

Doenças Mentais


Há pessoas que quando ouvem falar de alguém que tem uma doença mental pensam para si “ coitado, é maluco” e imaginam logo que essa pessoa é torturada por demónios que só ela vê, que terá um comportamento estranho, estas são falsas ideias.Na verdade a doença mental é demasiado comum: 1 em cada 5 pessoas terá uma doença mental ao longo da vida. Por causa do estigma (preconceitos de ignorância) muitas pessoas escondem a sua doença mental e, ao fazê-lo prejudicam-se: não desfrutam de tratamento atempado ou vivem o stress duma vergonha absurda. Em cerca de 10 pessoas com doença mental, 8 podem voltar a ter vidas normais se receberem o tratamento apropriado.


O que é a doença mental?

Não há uma, mas diversas e distintas doenças mentais. Em sentido diz-se que alguém sofre de doença mental quando tem algum tipo de sofrimento emocional, quando nota dificuldades cognitivas (atenção, concentração, memória, raciocínio, etc.) ou se a percepção ou o pensamento se modificam, ou se se observa alteração do comportamento esperado.

O que causa doença mental?


Não há uma só causa. Hoje em dia sabe-se que há alterações biológicas no cérebro das pessoas com doença, mas que também há factores genéticos que podem interferir, bem como determinantes psicológicos, tóxicos, físicos e sociais. Por exemplo, uma pessoa pode desenvolver uma demência por exposição a químicos industriais, outra pode ter alterações dramáticas de comportamento após um acidente que provocou traumatismo craniano, outra pode vir a sofrer de depressão profunda depois de uma perda duma pessoa significativa, ainda outra pode ter ansiedade persistente na sequência de sucessivos martírios no local de trabalho

Quem pode ser afectado?

Qualquer pessoa, de qualquer condição e idade, até crianças.


A doença mental nota-se?

A pessoa com doença psiquiátrica raramente tem um ar estranho. Apenas em algumas doenças, mais raras, o aspecto exterior revela a doença. Há mesmo doenças muito graves, que culminam no suicídio, em que nada houve que atempadamente chamasse a atenção sobre o doente, e assim não se pode evitar o desfecho fatal.


Sinais de alarme:
MARCADA ALTERAÇÃO NA PERSONALIDADE (maneira de ser)
PERDA DA HABILIDADE PARA LIDAR COM OS PROBLEMAS E ACTIVIDADES DO DIA A DIA
IDEIAS ESTRANHAS
ANSIEDADE EXCESSIVA
TRISTEZA PROLONGADA OU APATIA
ALTERAÇÃO EVIDENTE NOS HÁBITOS (sono, alimentação)
PENSAR OU FALAR EM SUICIDIO
“ALTOS E BAIXOS” EXTREMADOS
ABUSO DE ALCOOL OU TÓXICOS
DEMASIADA IRRITABILIDADE, HOSTILIDADE OU MESMO COMPORTAMENTO VIOLENTO

Quem somos nós


No âmbito de área de projecto decidimos abordar o tema “Doenças Mentais” para poder mostrar as pessoas o que são as doenças mentais, quais os sintomas e quais as causas. Este projecto tem como objectivo obter informação sobre estas doenças e ver esclarecidas as dúvidas da comunidade escolar sobre estas doenças que não são assim tão incomuns, mas também fomentar a discussão deste tema entre as pessoas.